domingo, 23 de maio de 2010

Não entendo


"Essas vidas mal vividas
Essa gente divida
E feições montadas
Essas máscaras da alma
Esses sorrisos solúveis
E esses gritos contidos

Essas mentiras mal contadas
Essas verdades despedaçadas
Essa felicidade aprisionada
E tristeza amontoada
Esse azul acinzentado
E essas nuvens envenenadas

Essa esperança cansada
E esse teatro armado
Esse fingimento exibido
Esse medo incumbido
E essa atuação crescente

Esse hoje inibido
Esse amanhã prometido
E o ontem esquecido
Essa ausência presente
E o descontentamento contente

Essa contradição peculiar
A dualidade singular
E esse triunfo milenar
As palavras que não são ditas
E as que são ditas demais
E toda essa insatisfação que satisfaz

Essas crenças indiscutíveis
Essa cultura imposta
Esse vazio que enche
E esse cheio que transborda
Esses fatos cruciantes
E essa maldade cortante

Essa fragilidade exalante
Esse sangue que mancha
E esses motivos inaudíveis
Esse caminho: lugar nenhum
Essas ambições incoerentes
Esses sentir sem sentido
E esses sentidos dissentidos

Essa novidade atraente
Esse antigo repelido
E essa evolução decrescente
Meramente, não entendo."

3 comentários:

Anônimo disse...

Não entendo, o entender desta menina!
"Meramente, não entendo."

'Luanderson.

Juliana de Sousa disse...

uhuu finalmente maiara fiz meu blog dá uma olhada lá.
beijo.

Maiara :) disse...

o/ e onde é 'lá' Juli?