sábado, 28 de agosto de 2010

Nas entrelinhas


Sua mão frágil apoiada na escrivaninha com uma folha em branco aparando-a, seus dedos finos entrelaçam um lápis. Por um momento a grafite tocou a superfície clara, e ela achou que seguiria em linhas contínuas, mas o que manchou o papel límpido foi apenas um ponto, quase imperceptível, mas para ela nada era imperceptível. Era frustrante, já havia algum tempo que ela não conseguia desenvolver uma só frase que a satisfizesse, e naquela manhã não estava sendo diferente. No tapete do seu quarto se encontravam alguns papéis amassados, inertes, como uma platéia que espera o ponto alto de uma apresentação, ela olhou em volta procurando inutilmente alguma coisa que a equilibrasse, mas em seu íntimo sabia, todos os labirintos do mundo cabiam em todos os labirintos da sua mente.

-
Se não fizer sentido atribua algum, ou alguns, quem sabe...
-

Ps. O desenho está longe dos critérios da perfeição, mas de qualquer forma eu gosto muito dele, e é por isso que ele está aqui.

2 comentários:

Luan disse...

amei. mt bom indico mt bom mesmo gente q menina com dedos entrelaçados com um lápis de 1 real mas o q vale é a intenção ne.......... mas adorei mt bom mesmo amo qnd vc fala sobre lula

Luan disse...

texto errado de novo af?