sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Notas notórias

A lua está alta no céu, sua luminosidade passa pelos vitrais da enorme sala de teto alto, invadindo furtivamente o ambiente, empalidecendo os objetos que ali adormecem. A luz pálida toca gentilmente a madeira escura do piano de calda, e depois as teclas de marfim. Não se ouve nenhum som. O silêncio é quebrado pela portadora do castiçal. Ela caminha até o órgão de luz gélida, senta-se e acaricia suas teclas, sentindo a frieza do marfim nas pontas dos dedos. Descansa o castiçal em uma mesa próxima, fazendo a luz alaranjada percorrer o lugar. As velas choram enquanto as chamas dançam sobre elas. Permanece com as mãos apoiadas nas teclas, sem pressioná-las. Uma brisa fresca faz as chamas crepitarem com mais voracidade, as velas caem em pranto, e os dedos delicados dançam. O som toma conta da sala, preenchendo cada lacuna. A música transborda. Lá fora as folhas aplaudem a dança do vento embalada pela melodia. Cá dentro as notas tingem nas paredes os seus mais belos tons. A mulher inclina-se e fecha os olhos cor de verão. Velas choram deteriorando-se, criam protuberâncias a cada lágrima derramada. As chamas balançam seguindo o ritmo agridoce do som. E a lua testemunha em silêncio a música ganhar vida.



Nenhum comentário: