segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Pontuação

- Olha ali! – dedos apontaram janela a fora.
- Ali aonde? – testa franziu-se pendurando interrogações.
- Ali, caramba! – mãos se colaram na face de testa enrugada. Criou binóculos imaginários.
- As lâmpadas do poste? – lábios mancharam o vidro da janela.
- Esquece. – afastou-se com notável decepção.
- O que houve? – tinha interrogações até nas orelhas.
- Nada. – a voz desceu um tom.
- Tem certeza? – agora as interrogações vestiram-se em preocupação.
- É que... Eu achava que você era reticências, e você é tão interrogação. – olhos baixaram-se na medida das mãos.
- Ah... Decepcionada? – algumas interrogações foram caindo.
- Bem, um pouco... – olhos seguraram olhos.
- Me ensina a ser reticências? – mãos seguraram mãos.
- Não. – olhos ganharam bocas e sorriram.
- Por que não? – interrogações escalaram ao topo.
- Porque acho que gosto de interrogações. – lábios encontraram lábios.

5 comentários:

William Thomaz disse...

Simples, genuíno, com toque de perfeição :)

Maiara :) disse...

Eu só tenho a agradecer :]

Danii disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Danii disse...

Awn, simples e lindo.
Talvez 'certas diferenças' são o que acabam unindo certas coisas :D
Bgs :*

Maiara :) disse...

*---*

verdade, bjs ;*