terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Espera

Os olhos atinos permanecem na janela. E tudo o que eles sabem fazer é esperar. Cansados pelo tempo que os esmagam a cada fechar de pálpebras. Cansados de não ver o motivo que sustenta a espera esmagadora. Não conhecem nada além dessa espera, e daquelas flores de cor afável; tão afável como o dia em que foram concedidas.

A rotina daqueles olhos, além de esperar, é buscar as mesmas flores a cada vez que as passadas murcham. E assim as mãos pálidas enchem o pequeno vaso com aquelas manchas de felicidade. E é ali que ela derrama o aturdimento da (des)esperança; que escorre pelos olhos, e forma pequenas gotículas sobre as pequenas pétalas rosáceas - as mesmas pétalas tingidas de contentamento; as mesmas pétalas com um aroma forte de saudade.

Ainda com toda a inquietação que se move em seu peito, ela não se afasta da janela, ela fraqueja na espera, mas permanece esperando. Até o cansaço vencer-lhes, ou a espera findar pela presença aguardada - ou ausência demorada.

10 comentários:

Jaynne Santos disse...

Esta aí o solipsismo que a espera causa; no afã de ver e tocar o que tanto esperamos, acabamos por só nos conformar com o resto de esperança banhada de constrangimentos, quando o que é esperado não se faz presente.

Como sempre, suas palavras são cobertas de simplicidade, causando diferentes emoções a cada detalhe de um determinado momento que você captura em câmera lenta e escreve, pra que nós possamos ver através de suas lentes também.

• cynthia bs disse...

Essa canção do Pe. Fábio de Melo diz tudo: "E eu espero por você e não me canso de esperar. A porta aberta eu vou deixar, se quiser pode voltar. E eu espero por você, e não me canso de esperar. Meu coração se alegrará quando você se aproximar!"

Maih, amor, há um Meme Literário para você em meu blog, espero que gostes. É tipo um selinho, e deves responder à umas simples perguntinhas. Depois passa lá para pegar, encontra-se na página "Selinhos".

Beijos **

Laryssa disse...

Lindo texto!
"Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem."(Hebreus 11.1)

Beijos!

Caroline Araújo disse...

Ah Mai, é admirável a sua intimidade com as palavras e o amor delas por ti (como eu já disse). Você consegue não só escrever com tamanha beleza e perfeição, como também sentir magnificamente cada respirar da escrita - cada sibilar.
Vejo-te com o lápis na mão, um brilho nos olhos e um jubilo a cada palavra que escorrega por entre os seus dedos, e se assossegam aqui, diante do meu olhar sempre mais entusiasmado.
Penso que esperar, manter a esperança tão reluzente quanto o desejo pelo que nunca chega, é um dom e tanto. Assim como, é um lindo dom as palavras te abraçarem, invadirem, amigarem-se de ti e depois presentearem quem lê.
Grande beijo.

Naa disse...

As esperas são sempre cheias de esperança, saudade, vontades,mesmo quando elas não deixam de ser "esperas".
Lindo texto.
Beijinho doce!

Dani Ferreira disse...

No fim do seu texto, continuei vivendo como se fosse a personagem nessa espera permanecendo na janela. E deu até um aperto só de pensar que talvez essa seja uma espera sem sentido. É de admirar, Mai (:
Bgs :*

Elania disse...

A esperança é inabalável. :*

Arianne Carla disse...

É extremamente incrível como sempre fico impressionada com suas palavras, o intimismo, a sensibilidade que você, Mai, passa com suas palavras. Elas sempre vão e ficam dentro do meu pensamento; não saem de lá. Não canso de dizer que fico completamente embriagada com suas postagens, elas sempre tocam em algo que era literalmente inexplorado por mim. Amo, mas amo sempre vim aqui.

Carolina Hermanas disse...

É díficil esperar.Existem pessoas que acham que o tempo é responsável por TUDO.Quero dizer,temos que fazer a nossa própria felicidade.Temos que parar de almejar algo que não é nosso.
Temos que esperar a nossa vez :)
Complicado,isso.HAUAHAUHAU

Mas eu adorei aqui *O*

Fernand's disse...

ahhhhhhhhh, eu não ficaria prostrada na janela... bem como não fiquei!



rs
bjs meus