sexta-feira, 22 de abril de 2011

Me dá mais um dó

Me Dá Um Dó - Casuarina


Pra combinar com a porta aberta;
Acanhar-se no fleche de luz
Dançar com a tristeza inepta
À partida que a verdade induz.

Vai dizer que já é hora de findar;
Que as mentiras passaram a desgastar
Um olhar penoso vai lançar,
Mas vai assim mesmo
Com a promessa de não voltar.

E olha lá, você já vem;
Abre a porta, entra devagar...
Diz que é pra não me espantar,
E que a promessa pode esperar

Sorri sem jeito; pede perdão
Diz que é dada mais pro sim do que pro não.
Aceito as desculpas,
Refaço o nó...
E no fim, proclamo:
Me dá mais um dó.

Bloínquês - 35ª Edição Poemas

7 comentários:

Erika Santos ♥ disse...

querida desejo a ti, uma páscoa iluminada, cheia de chocolate viu.. rsrs

bjo imenso

. Nadine disse...

mas não me dê muita saudade. (8)
Música linda, poema mais lindo ainda.

:*

rafaela ivo, disse...

Eu fico embasbacada com tua habilidade pra poemas. Dá vontade de juntar todos eles e fazer uma coletânea - é coisa muito rica de se ler. Parabéns Maiara, por esse teu grande talento. Beijão!

Joyce C. disse...

Tão bom quando a leitura é leve. Teu poema é assim: Bonito, repleto de cores e doçura.

Amei!

Beijos, Maiara!

Que a tua páscoa seja bela!

Thaís disse...

Se eu escreve poemas como você, eu seria a pessoa mais realizada do mundo! Parabéns! *-*

Bell Souza disse...

Vamos lá, Mai.
Ortografia, Criatividade, Adequação ao tema: Você foi categórica, precisa e inegavelmente crítica. Criativa, sem dúvida e expôs o tema maravilhosamente bem.
Só pecou no exagero das terminações "ar". Você pode brincar com as terminações das estrofes, só tenha cuidado para não perder o ritmo. É isso que tenho para te dizer hoje. beijos.
Moderação Bloínquês.

Andarilho disse...

Um andarilho esteve aqui e voltará em outras andanças.

Fraterno Abraço