segunda-feira, 4 de julho de 2011

Inside


Penso que dizer quem se é em uma verdade nua e crua exige muito dessa primeira pessoa singular que de tanto olhar-se no espelho enjoou da fisionomia. E toda gente é assim, já percebi. Porque vagam por aí, procurando em linhas de poetas renomados, ou até versinhos quase esquecidos, palavras que lhe caiam bem. Oras, porque outro lhe entenderia tão bem assim? Ele por acaso fez parte da história que carregas no peito?
Às vezes é por coincidência - é o que dizem. Mas eu nunca acreditei muito em coincidências, pois bem no fundo acho que tudo tem um fundo, um motivo; uma razão. Para mim aquela folha que lhe atingiu no Outono passado estava solitária, e precisava de alguém para tombar-se, só para sentir um calor diferente.
De todo o jeito, vou levando assim, sem saber ao certo em que palavra me encaixo melhor, ou que palavra se encaixa melhor em mim. Bem, para ser sincera, acho que é numa palavra inexistente. Não que eu seja incompreensível, isso é só subjetividade de quem é mais coração do que qualquer outro músculo. E não pense você que isso é só uma tirada filosófica, um chavão ultrapassado, ou clichê barato, porque não é. Isso é apenas parte minha; parte intrínseca, vital, essencial para dar sentindo a tudo isso que carrego aqui dentro.

16 comentários:

Pedro Menuchelli disse...

Pois é May, de toda forma demonstrando o que você sente em relação a algo que vem acontecendo em peso. Muita gente acha que grandes poetas e que renomados escritores da nossa história podem descrever personalidades através de palavras ou então, mais simples, caracterizam como uma mera coincidência. Mas, nada é por acaso. Se nada é por acaso é porque tudo tem um valor. Se tem um valor é porque merece ser diferenciado. E se é diferenciado nada é igual.

Muita gente leva a vida de forma muito substancial. A solução é apenas viver sem encadear características e personagem ou até mesmo simples coincidências descritas por diversos outros que nem ao menos viveram cinco minutos da sua vida com você. Muito bom o texto, como sempre. Um grande beijo e uma ótima semana!

Bell Souza disse...

Todos nós somos um pouco assim, meio sem fazer sentido ao resto. E não, não é subjetividade, é só essa essência que cada um carrega em sim.

Minne disse...

E por que não escrever sua própria história? Sim, sem se basear em algo já visto ou vivido, sem vestir máscaras, e mesmo que incomode, não tirá-la por medo. Se é destino ou não, vou sendo eu enquanto não descubro. Maravilhoso, Mai!

. Nadine disse...

Aí, que saudade de aparecer aqui! Andei sem tempo por causa da faculdade, e estava perdendo as preciosidades que são teus textos. "quem é mais coração do que qualquer outro músculo." Quanta verdade nessas palavras. Beijo!

Ela disse...

Palavras... belas sim, mas muito mais sentimento... Lindo demais tdo q ecreve, pq tem sentimento por tras das palavras. bjs

ϟ Cynthia Brito disse...

Maiara!!!

Com certeza toda estória tem que ter um pé e uma cabela. No mais, um motivo para acontecer.

Tem selinho para você em meu blog, de nº 109, no finzinho da página inicial.

beijos.

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Adorei seu blog...
Amei tudo que li por aqui...
Voltarei sempre que puder...
Se quiser, dá uma passadinha no meu também...
Quem sabe não gosta e fica (segue)...

HTTP://cristalssp.blogspot.com

Beijos
Ani

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Adorei seu blog...
Amei tudo que li por aqui...
Voltarei sempre que puder...
Se quiser, dá uma passadinha no meu também...
Quem sabe não gosta e fica (segue)...

HTTP://cristalssp.blogspot.com

Beijos
Ani

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Adorei seu blog...
Amei tudo que li por aqui...
Voltarei sempre que puder...
Se quiser, dá uma passadinha no meu também...
Quem sabe não gosta e fica (segue)...

HTTP://cristalssp.blogspot.com

Beijos
Ani

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Adorei seu blog...
Amei tudo que li por aqui...
Voltarei sempre que puder...
Se quiser, dá uma passadinha no meu também...
Quem sabe não gosta e fica (segue)...

HTTP://cristalssp.blogspot.com

Beijos
Ani

Luana Espindola disse...

Achei este texto muito lindo e profundo, e além do mais me identifiquei. Muito bom mesmo, parabéns. O design do seu blog é tão leve, e fácil de mexer, adorei.
Beijos e ótima semana.

http://thebloodstream.blogspot.com/


Luana Espindola

C. disse...

E cada um segue mentindo sua dor do jeito que pode, se nao escreve, usa licença poética. Só nao gosto de quem nao respeita autoria. Dia desses no meu Facebook aconteceu uma bem engraçada, e menina colocou uma frase minha e eu perguntei o por quê ela nao usou a autoria, e ela respondeu "mas eu nao sei quem é". Mereço? rssss

Mero Esmero disse...

Que belas subjetividades essas escritas nessa postagem! Isso podia nascer de alguém que, em essência, "[...]é mais coração do que qualquer outro músculo".

Fraterno Abraço!
Beijo Terno!

Nayara disse...

Pois é, nos encontramos em textos, em palavras de pessoas que nem nos conhecem, e por algum motivo parece que descreve o que exatamente sentimos, somos, ou gostamos. Se é coincidência ou não, acho que não importa, o importante mesmo é que nos encontramos em algo, mesmo fazendo algum sentido ou não.

Lindo o texto.

Nayara disse...

Tem uma tag pra você la no meu blog, passe la pra pegar - http://nayara-soares.blogspot.com/p/tag-10-coisas-que-eu-amo.html

beijos.

reflexão disse...

Quando procuramos significados nas coisas então todos os acontecimentos não são o acaso. Então criamos significados para tudo. E este tudo pode ser nada, pois nossa percepção dos motivos da vida podem não ser real. E quando isso acontece a vida se torna uma grande ilusão. Exite coincidência e o acaso existe. Nem sempre a vida é um jogar de dados. Mas a questão é que os dados existem e que são ativos na sociedade. O que não podemos fazer é transformar a vida em um grande jogar de dados e querer fazer disso uma regra e nem negar o acaso. Mas a vida também é cheia de acontecimentos luminosos e que também tem seu ocaso. E não confundir isso é um dos grandes segredos da vida!