terça-feira, 22 de novembro de 2011

Chão de Giz

 Chão De Giz by Zé Ramalho on Grooveshark

Entre passos e descompassos:
Inevitáveis caminhos,
Janelas pelas quais os olhos se encantam;
Se plantam, e se põe em pranto quando assim for

Continuar em cambaleio de equilíbrios de pernas, olhos, e contradições.
O que seria da força sem a fraqueza?
O branco do vazio, do giz, das cores;
O entendimento sem rumo
Sem nada
Contudo,
Com tudo.


Da idade que não zomba de questionamentos sobram aqueles fragmentos de uma era passada. Uma lembrança acesa como uma luz quase enfraquecida, e se não fosse o quase já não seria nada. Mas o nada cabe na invalidez das lembranças dignas de risos e lágrimas. E é nesse devaneio desenfreado que o sentido se esconde em cada passagem descompassada, afirmando um tempo que passa, mas que vive nas extremidades das gavetas empoeiradas cobertas por fios grisalhos que combinam com aquele chão de giz.

E é verdade que vos falo com a inexperiência dos 20, mas com a alma plena que me cabe em brancas gavetas incontáveis como o giz que pinta o chão e que guarda todas as cores nele só; e sua idade espalha brilho de mil estrelas e essência que vislumbra o novo e o velho com tamanho apreço e respeito ao que tem de durar e perdurar entre a incerteza do amanhã, mas com a certeza do eterno.

Confesso que o sentido pode se esvair pelos dedos se a distração o permitir, mas no fundo o que tento é fazer dos detalhes percebidos uma imagem imperfeita da quase perfeição que me cabe. A importância não circunda entendimento pleno, mas sentimento puro que parte de imperfeições para ecoarem entre sombras e clareiras quase imperceptíveis, e se não fosse o quase já não seria nada, mas o nada combina com o vazio branco dono de todas as cores num só, e que derrama assim aquele devaneio cíclico nesse chão de giz.

7 comentários:

Yohana Sanfer disse...

E pensar que muito ainda há de mudar a acrescentar....belo texto moça! Bom voltar aqui!

Aproveito pra avisar: tem promoção no meu blog pra todos que seguem e me dedicam carinho neste 1 ano! =)

Pedro Menuchelli disse...

Mai,
Senti saudade dos seus textos e da sua forma maravilhosa em expôr o que sente. De uma forma ou de outra, na nossa vida, vamos estar em vários momentos que devemos escolher aquilo que é bom para nós. O dificil é saber por quem e por que lutar.

Fico feliz em ter voltado. Um grande beijo!

Sabrina Andrade disse...

Nossa, que texto lindo!
É incrível a forma como você usa as palavras, e passa sentimento em cada letra ♥
Parabéns pelo blog, e pelos textos.
Beijos ;*

saahandradee.blogspot.com

Abstrações disse...

é na juventude que a gente sente as coisas com muito mais intensidade. se ama com loucura. se age com espontaneidade. e, se escreve com liberdade (foi o que percebi no texto)^^

Rosival Evangelista disse...

Olá, que blog lindo e tão sentimental em suas palavras... Gostei e vou sempre visitar estas entrelinhas quando puder, gostei mesmo!

Laura K. disse...

Aos vinte achamos que podemos tudo né? Aí vem a vida e pisoteia-nos.

taís disse...

mayaaaaaaaaaara dodhia qto tempo!!!!
ei cmo vc coloca esse aplicativo de musica? esse do midia play com o zé ramalho?..]eu fiz um cursin de html e aprendi + ja nem lembro maaaaaaaaaaais!!! me manda o código queriiida!
bjus teu blog ta lindoooo parabéns!!!
saudades