domingo, 27 de maio de 2012

Encontrou-se quando se perdeu; perdeu-se quando se encontrou



- Eu preciso de você. – disse uma voz enfraquecida.
- Eu também. – respondeu depois de curto silêncio. – se por acaso você me achar por aí, me avise, estou disposta a me encontrar, e até me perdoar por ter me abandonado.
- Lucy... – a voz subiu um tom, quase nada, mas alguma coisa. – Seja compreensível. Se faça compreensível também.
- Então você topa?
- Mas...
- Ei, para de complicar tudo. É só aceitar a proposta.
- Que proposta?
- A de me encontrar, claro.
- Você é muito pra mim, já desconfio da minha necessidade.
- Pare de ser assim, você precisa de mim tanto quanto eu preciso de você.
- Mas eu já estou aqui, e você, onde está?
- Eu... Não sei. Essa é a questão, mas sabe, se eu estivesse aqui agora, eu estaria por você.
- Você acaba comigo assim.
- Para de resmungar e segura logo essa minha mão, vem comigo me encontrar.
- Mas... Por que devo fazer isso?
- Não é óbvio?
- Hum.
- Você precisa de mim.
(Silêncio)
- ...Bem, na verdade, acho que eu preciso mais de você do que o contrário.
- Você está enganada. – puxou-a para si.
- Ei, espere aí.
- O que foi agora?
- Os seus olhos... Não, não mexa! Espere, fique assim. – o encarou com suas testas coladas.
- Acho que... – se afastou enrubescida.
- O que houve? O que há de errado com meus olhos?
- Bem, acho que nada. Quer dizer... Eu estou neles.

2 comentários:

Rodrigo Nolasco disse...

Ameii seu blog Maiara, parabéns, é um cantinho muito fofo, simples e delicado, sem contar os textos maravilhosas e de uma profundidade imensa. Minhas visitas por aqui serão frequentes!

Beijoos moça! =)

http://viaspensantes.blogspot.com.br/

Sara R. Carneiro disse...

Que lindeza! Que lindeza! Que lindeza!
A simplicidade vai se fundindo nas tuas palavras e de uma forma incrível o texto ganha profundidade. É algo profundamente simples e simplesmente profundo. Deu pra entender? (risos).
Me encantei com tudo aqui.
Parabéns flor.
Grande beijo.


http://sara-rsc.blogspot.com.br/