quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Escolhas de raiz


Mudei-me. Agora estou no 203 com vista ampla para lugar nenhum. Durmo e acordo ouvindo a cidade, e sei, não vou me acostumar. É verdade, faz quase um ano. E aquela história de que cada escolha precede uma renúncia também é verdade. Vi de perto. Tão perto que a vista embaçou, não sei se pela aproximação ou pelas lágrimas de saudade. Talvez os dois.

Essa coisa de folhas na ventania sempre me foi muito poético, bonita cena para ser admirada numa distância segura. Pra ser sincera, até já pensei em um voo curto, sabe? Desses rapidinhos, com passagem de volta apertada entre os dedos. Mas cá estou, abraçada com minhas raízes enquanto perambulo entre um lugar e outro. Da próxima vez escolho renunciar a renúncia.



2 comentários:

Te amo. Ainda. E sempre. disse...

cada escolha precede uma renúncia, fato. mas cada renuncia precede uma nova oportunidade. :)

Nina disse...

As escolhas e renúncias que fazemos se confundem. Acredito que uma dependa da outra, mesclam-se, servem de sinônimos. É o mesmo que dizer que, para cada bem, existe um mal. Mas o que seria o mal dessa história? Abraços.