sábado, 8 de fevereiro de 2014

Nota pessoal: pra ensaiar diante do espelho



Você deveria crescer de uma vez. Começando por dar conta dessa tua bagunça espalhada por todo o canto, retirar os pedaços espalhados por aí. Acreditar menos em pessoas. E se permitir essa amargura e egoísmo de quem se decepcionou outra vez. Ora, essas topadas são tão banais que nem graça tem mais. Por que se dar toda essa atenção? Ainda não entendo essa sua insistência pra tanto, é só mais um fardo humano; uma chata esperança que envolve o ego. Mas cá entre nós, você ainda tem tantas quedas pela frente, é só se permitir levantar depois e tudo bem, retoca seu quite de primeiros socorros, ergue a cabeça. Sorri também, porque nem tudo é dor, e na verdade, só de vez em quando é que a dor fica assim tão proeminente, fazendo você chorar até por comercial de produto de limpeza. Seria engraçado se não doesse tanto, eu sei, eu sei. Dessas coisas eu sei bem. Mas não se culpe tão severamente, abre o peito, respira fundo que tudo se endireita mesmo que de um modo torto. Afinal, esse é o jeito que o mundo tem de ser: o que te traz sorrisos doces também faz você nadar no mar de sal de suas lágrimas.  

3 comentários:

Déborah Arruda. disse...

Isso é uma jogada de água fria no meu rosto logo pela manhã!

Deb disse...

Me desfiz quando me li em seu texto.

Deb disse...

Me desfiz quando me li em seu texto.